domingo, 31 de janeiro de 2010

BEIJO -EM FEVEREIRO-

 VINTE E OITO FATOS INCRÍVEIS SOBRE O BEIJO
-UM PARA CADA DIA DO MÊS DE FEVEREIRO-
UM MOTIVO POR DIA PARA DAR UMAS BITOCAS POR AÍ.

Ao que se refere, o beijo, do latim basium, significa toque dos lábios em alguma superfície, não necessariamente os lábios de outra pessoa.
O relato mais antigo desse tipo de ação, remonta de 2.500 a.C, nas paredes do templo Khajuraho, na Índia. Na antiga Mesopotâmia, as pessoas costumavam enviar beijos aos deuses e na Antiguidade era comum, para gregos e romanos, o beijo entre os guerreiros quando retornavam de combate. Em Roma, aonde a prática foi difundida, o Imperador deixava que pessoas importantes lhe beijasse os lábios, enquanto os menos importantes, as mãos e os súditos, os pés. Variações desse ato são encontradas, por exemplo, na Rússia com os Czares; no Vaticano, com o Papa e no Brasil com a cerimônia do beija-mão implantada por D.João VI e mantida por D.Pedro I e D.Pedro II.
Houve,inclusive, época na Escócia que ao final dos casamentos o padre beijava a boca da noiva em forma de bênção. Acreditava-se que apenas assim o casal teria prosperidade e felicidade. Na Itália, no entanto, o homem que fosse visto beijando uma moça em público era obrigado a casar imediatamente com ela.
Tanto tempo de história, no entanto, não eximiu o beijo de ser mal visto ainda nos dias de hoje.Culpado de atentado ao pudor e aos bons costumes, na Venezuela, se beijos de língua demorados são trocados em público, é capaz de o sujeito sair dalí preso; na Malásia, é proibido beijar no cinema e o casal pego é obrigado a pagar uma multa exorbitante.
 
Como forte influenciador social, o beijo é mais do que um simples ato de ternuna, afeição. Com o decorrer dos séculos ele se mostrou capaz de transmitir intenções e consequentemente modificar o meio em que existiu. Hoje, cumprimentamos nossos amigos, familiares com singelos beijos no rosto e àqueles que tecemos paixão, beijos na boca.
Não é intenção desse post colocar em voga a discussão do "ficar", muito difundido entre os adolescentes. Mas fica claro que o beijo, com todo seu histórico, não é uma ferramenta de diversão pública ou ainda um utilitário social de festas.

Trago então, vinte e oito fatos incríveis a respeito do beijo para que você, caro leitor, tenha um motivo por dia nesse mês de fevereiro para beijar as pessoas que o rodeiam:
1 - Beijar ajuda a relaxar e a reduzir os efeitos do estresse.
2 - Durante o ato do beijo você coloca 29 músculos faciais em movimento, dos quais 17 são da língua. Em outras palavras, o beijo pode ser usado como exercício eficiente para prevenir o aparecimento de rugas.
3 - Um beijo romântico rápido queima entre uma e três calorias. Um beijo de boca aberta com contato de língua de curta duração pode queimar cinco calorias. Um beijo de um minuto pode gastar até 26 calorias. Isso é o dobro do gasto de uma corrida intensa, na subida.
4 - Quem beija, troca saliva contendo diversas substâncias como gordura, sais minerais, proteínas. A troca destas substâncias pode incentivar a produção de anticorpos pela sua relação com antígenos associados a diferentes doenças.
5 - Beijar ajuda a prevenir as cáries, pois aumenta a produção de saliva que colabora na limpeza da boca.
6 - Beijar apaixonadamente por 90 segundos eleva a pressão sanguínea e causa taquicardia. Aumenta o nível de hormônios no sangue reduzindo a expectativa de vida em um minuto.
7 - Estima-se que os homens que beijam suas esposas ao se despedir, antes de sair de casa, vivem cinco anos mais e ganham salários maiores do que aqueles que apenas batem a porta. Os homens da última categoria também tendem a sofrer mais acidentes de trânsito.
8 - Uma pessoa comum passa 20.160 minutos (14 dias) da sua vida beijando.
9 - De acordo com estatísticas norte americanas, uma mulher beija uma média de 80 homens antes de casar.
10 - Os antigos romanos beijavam uns aos outros nos olhos ou na boca como cumprimento.
11 - Na Rússia, o maior sinal de reconhecimento era um beijo do Czar.
12 - A etiqueta vitoriana exigia que o homem se curvasse para beijar a mão das damas.

13 - Nos EUA os beijos nas bochechas só são dados por pessoas íntimas e não é o cumprimento padrão como no Brasil ou na Europa.
14 - Em algumas tribos africanas se presta homenagem ao chefe ao beijar o chão por onde ele passou.
15 - A palavra ‘ósculo’ é sinônimo de ‘beijo’ em português. A palavra é originada do latim ‘osculum’, que significa ‘boca pequena’, ou seja, o movimento feito com os lábios no momento do beijo.
16 - Os romanos possuiam três tipo de beijo: o basium, entre conhecidos; o osculum, entre amigos; e o suavium, ou beijo dos amantes.
17 - O beijo mais longo durou 31 horas e foi realizado para um programa de televisão chamado “Ricki Lake” em 2002, na cidade de New Jersey.
18 - Em alguns locais ou certas ocasiões, beijar é crime. Nos EUA, no estado de Indiana, é ilegal que um homem de bigode “beije habitualmente seres humanos”, na cidade de Hartford, Connecticut, é ilegal que um marido beije a esposa no domingo.
19 - Beijar em público não é bem visto no Japão, Taiwan, China e Coréias. Os beijos japoneses típicos são ‘beijocas’ para nós e parecem ter sido criados para censurar a ‘perda da moral’ do ocidente. Um casal japonês deve manter certa distância antes de ousarem se curvar para encostar os lábios por um segundo.
20 - Nos tempos medievais, os beijos eram levados a sério. Se um casal era pego “nos agarros” poderia ser forçado a casar.
21 - Os esquimós, polinésios e malásios esfregam os narizes ao invés de beijar.Mas ao contrário da crença popular, os esquimós não apenas esfregam os narizes uns contra os outros para mostrar afeto e amor. Assim que os narizes se encontram, eles abrem um pouco suas bocas e em seguida inspiram profundamente e soltam o ar pelo narizes, com os lábios cerrados. Depois de saborear os aromas uns dos outros, os parceiros pressionam o nariz contra as bochechas um do outro e ficam parados nessa posição por um ou dois minutos.
22 - Estudos indicam que 66% das pessoas mantêm os olhos fechados enquanto beija. O restante sente prazer em observar a miríade de emoções no rosto do parceiro.
23 - O prazer do beijo pode estar ligado ao fato do tato labial ser duzentas vezes mais sensível do que o tato nos dedos.
24 - O beijo de língua é chamado de “união de almas” na França. Comumente os franceses são atribuidos pela invenção deste tipo de beijo.
25 - ‘Beijo de borboleta’ é o nome dado a uma espécie infantil de beijo onde se esfrega suavemente os cílios no nariz ou bochechas de outra pessoa, com o movimento da pálpebra.
26 - Os corpos das pessoas, enquanto ocorre o beijo, produzem substâncias 200 vezes mais poderosas do que a morfina em termos de efeito narcótico. É por isso que um casal pode sentir euforia ou êxtase durante um beijo.
27 - Metade das pessoas tem o seu primeiro beijo amoroso antes dos 14 anos de idade.
28 - Quando beijamos, uma descarga de substâncias neurotransmissoras inunda o cérebro, dando o torpor do prazer.

*Foi apenas no século XVII que os homens acabaram com o hábito de beijar uma pessoa do mesmo sexo.
*Sigmund Freud, o pai da psicanálise, encontra no primeiro contato do ser humano, durante a amamentação, a origem do beijo. Na antropologia, a resposta está na derivação de prática ancestral da pré-mastigação, a transferência de alimento macio e mastigado de uma pessoa a outra, normalmente da mãe para a criança. As reflexões sobre esse carinho, especialmente entre amantes, induziram até uma ciência: a filematogia.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

DIA DA SAUDADE

É um sentimento complicado esse, da saudade. Como resgatar aquilo que nos pertenceu apenas por um espaço de tempo limitado? Como destacar um momento marcante dos subjetivismos de nosso raciocínio?

A Carta - Renato Russo e Erasmo Carlos

A bem verdade é que não há como entender o caos que abrange a ausência, a perda, a distância de algo que muitas vezes apenas nós entendemos.
É o cheiro da terra molhada na casa dos avós quando se era criança; do vizinho que se tornou amigo e mudou de cidade; de uma tia que cuidou de você quando seus pais morreram, e que, infelizmente, também já se foi. Todos nós sem excessão já sentimos ou fomos alvo de uma saudade incontida, daquela que não precisa de subterfúgios para reaparecer, nem de desculpas para permanecer o tempo que achar necessário, pois quando aparece, abrimos nossos corações e a acolhemos como parte intrínseca nossa.
Nem sempre são só sentimentos alegres e nostálgicos. A saudade vem, por vezes, repleta de dor e sofrimento e em outros casos, a incoerente afirmação de sentir falta daquilo que nunca aconteceu ou que nunca nos pertenceu, ataca. Querer ter aquilo que nunca nos pertenceu é dar um tiro no próprio pé, é afirmar que existe o "se" no passado, quando na verdade nunca existiu.
 A dor da saudade do que não aconteceu é a pior parte, penso eu.
A palavra deriva do latim solitate, e literalmente significa solidão, mas a brasilidade romantizou o assunto e hoje não conseguimos distinguir a saudade da nostalgia de querer possuir novamente algo extinto e que dia após dia torna-se mais distante. A gênese do vocábulo, porém, diz-se vir da tradição marítima lusitana, cuja espera de retorno do alto mar afligia quem ficava em terra firme e não quem partia e sentia nostalgia.
Existente apenas na cultura portuguesa, a saudade ja foi (e sempre será) tema de músicas, livros, filmes, poemas:
Saudade
Na solidão na penumbra do amanhecer.
Via você na noite, nas estrelas, nos planetas,
nos mares, no brilho do sol e no anoitecer.
Via você no ontem , no hoje, no amanhã...
Mas não via você no momento.
Que saudade...
                                                  Mário Quintana
  Em outras culturas, palavra alguma transpõe com tamanho efeito o sentimento único da saudade. Em inglês, o "I Miss You" significa "Eu Sinto Sua Falta", em francês, "Souvenir" demonstra "Lembrança" e em espanhol, o "Recuerdo" ou o "Extraño Mucho" tomam, respectivamente, o sentido de "Lembrança" e "Sinto Falta". Nenhuma, no entanto, é capaz de traduzir o sentimento que franceses, norte americanos, espanhóis sentem com ou sem nomenclatura.
É universal o aperto no peito quando se quer rever as luzes de sua cidade natal, as reuniões de família, os amigos da escola, os lugares favoritos, as pessoas marcantes, os momentos únicos, os gostos e cheiros intensos, as sensações... Amanhã, 30/01, é dia da saudade,e já não me lembro de todas as pessoas de que sinto falta, não me recordo dos dias mágicos vividos em sua íntegra, mas guardo em mim a sensação de ter trazido comigo muito de tudo e deixado um pouco de mim nos dias vividos, nas manhãs já esquecidas.
Efêmera como só consegue ser a vida, deixo o sentimento invadir, esqueço a objetividade do jornalismo e me entrego à completa verborragia que só a saudade traz.
  Saudade é a 7ª palavra mais difícil de traduzir, Notícia veiculada em Londres pela BBC,no dia 23 de junho de 2004.
*Fotos que me trazem lembranças bonitas e me fazem querer ser sempre a garota que marca o coração dos outros pelo sorriso e pela palavra. Fotos que não abrangem a completude das pessoas e dos lugares, mas que representam os amigos, a infância, as cidades....Fotos que me dão saudade....

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Doação de Sangue.

Eu, vossa iminente jornalista e que nas horas vagas é também correspondente, fui nesta última segunda feira (25/01) ao Hemocentro realizar minha segunda Doação de Sangue. Levei o namorado, que também estava em sua segunda doação, e registrei a experiência como forma de exemplo e modelo a ser seguido por meus cinco leitores.
Desde a chegada ao Hemocentro, fui bem conduzida à recepção e ao cadastro e logo após, à pesagem e ao exame de pressão. Uma coleta de sangue foi feita para que eu fosse considerada apta para a doação. Servi-me de um pré lanche e fui encaminhada para uma sala de entrevistas, onde com toda sinceridade respondi ao questionário que averigua alguns ítens da minha vida, como o uso de remédios e de doenças.
Após a saída da sala de entrevistas, beber muita água foi a recomendação médica. Tomei seis copos, ninguém lá ousaria dizer que eu não estava bem hidratada. Fui chamada para a Doação de Sangue e não houve dor maior que a de uma picada de formiga das grandes no braço.
É agradável saber que uma única doação minha pode beneficiar até quatro pessoas diferentes. Não apenas em caso de acidente ou fatalidade, meu sangue poderá ser usado em transfusões, hemodiálises. Salvando vidas e me deixando um pouco mais feliz comigo mesma, por minha disponibilidade e minha vontade de ajudar ao próximo.
Essa campanha realizada pelo Minny.na não é a primeira e espero que se torne um impulso para que surjam outras maiores e melhores que ela. Fica, ainda, o apelo para que VOCÊ doe sangue e realize uma boa ação que pode, inclusive, ajudá-lo em um dia ruim.
*A bolsa que recebe o sangue retirado é encaminhada ao fracionamento, onde será separada em até quatro componentes (hemácias, plasmas, plaquetas e fatores de coagulação) que em seguida são levados ao local onde serão armazenados até que sua utilização seja necessária. As plaquetas têm que ser retiradas em até cinco dias, as hemácias podem ser posteriormente congeladas.
 *O Brasil necessita diariamente de 5.500 bolsas de sangue.
*O custo operacional, por doador, que todo Banco de Sangue tem é de aproximadamente R$ 100,00.
*Doa-se em média 450 ml de sangue e o organismo repõe o volume doado nas primeiras 24 horas após a doação.

A ciência ainda não descobriu um líquido que substituísse o tecido sanguíneo, por isso é tão necessário que haja a Doação de Sangue voluntária.
*Perguntas Frequentes respondidas pelo site do Instituto Nacional do Câncer, o INCA.
**Agradeço à companhia e ao bom senso do meu namorado, Luis, que me acompanhou e fez sua parte como cidadão consciente às necessidades da sociedade.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

SALVE VIDAS.

Vídeo do Youtube com mais de 60.000 visualizações que mostra comicamente o incômodo da picada do "cacete de agulha"

Uma boa ação é sinônimo de delicadeza, e mais do que isso, demonstra quão caridosa uma pessoa é.
Velhos chavões como o "Já fiz minha boa ação de hoje" , muitas vezes usados ironicamente, denigrem o lado humano e prazeroso de uma mão estendida ou de uma ajuda simples.
Não é necessário um truque mirabolante ou pirotecnia para satisfazer a necessidade do próximo. Atitudes simples como a Doação de Sangue ajudam muito mais do que o imaginado. Muitas vezes, não sabemos a última parada dessa ação, mas não por isso devemos limitar as consequências de um gesto verdadeiramente útil. Por isso, venho trazer um pouco de esclarecimento ao ato tão de doar sangue.
Muitas dúvidas surgem quando o assunto é a Doação de Sangue. É preciso,inclusive , que tais dúvidas sejam sanadas antes da doação, pois algumas CONDIÇÕES são necessárias para o total aproveitamento e qualidade do procedimento:
  • Ter entre 18 e 65 anos e pesar acima de 50 Kg.
  • Gozar de boa saúde. (Avaliação feita no próprio Hemocentro)
  • Ter dormido pelo menos seis horas na noite anterior à doação
  • Não realizar exercícios físicos ou fumar antes da doação.
  • Não ter colocado piercing, feito tatuagem, endoscopia ou recebido transfusão de sangue ou hemoderivados nos últimos doze meses.
  • Não ser usuário de drogas injetáveis.
  • Não estar usando medicamentos. (Dependendo do medicamento pode-se doar em diferentes espaços de tempo. Antibióticos, por exemplo, três semanas) nem ter ingerido bebidas alcóolicas no dia anterior à doação.
É importante observar que não apenas as condições precisam ser consideradas, mas também as RESTRIÇÕES devem ser notadas e, por ventura, sanadas para que mais que uma Doação de Sangue, o processo seja um real exercício de Cidadania:
  • Não ser portador de doenças infectocontagiosas como Sífilis, Doença de Chagas, AIDS, Malária, Hepatite B ou C, HTLV.
  • Múltiplos(as) parceiros(as) ocasionais ou eventuais sem uso de preservativo
  • Se o seu parceiro sexual é soropositivo, ou seja, portador do Vírus de Imunodeficiência Humana-VIH (HIV); ou portador crônico do Vírus da Hepatite B e Hepatite C – VHB, VHC.
OU AINDA SE
  • Fez transplante de córnea ou dura-máter;
  • Fez tratamento com hormônio de crescimento, pituitária ou gonadotrofina de origem humana;
  • Foi operado nos últimos 6 meses;
  • Tem Epilepsia, Diabetes insulino-dependente ou Hipertensão grave;
  • Teve Paludismo/Malária nos últimos 3 anos;
  • Teve parto nos últimos 6 meses;
  • Teve um(a) novo(a) parceiro(a) sexual nos últimos 6 meses
Doar Sangue é um procedimento simples, rápido (em média de 30 a 40 minutos), sigiloso e seguro (utilização de materiais descartáveis), e para o doador geralmente não há riscos, havendo ocasionalmente alguns desconfortos como queda de pressão e tontura, hematoma no local da punção, náuseas e vômitos, dor local e dificuldade para movimentação do braço.
O intervalo mínimo para a próxima doação nas mulheres é de 90 dias, no máximo três doações ao ano; e para os homes, 60 dias, em um total de 4 vezes ao ano.
Aqui em Brasília, existem 4 locais de doação de sangue. São Unidades de Hemoterapia e Hematologia localizados no Hospital Regional do Gama (3556-1422/todas as quartas feiras) e nos Hospitais Regionais da Ceilândia e de Sobradinho (duas vezes ao mês, na Unidade Móvel do Hemocentro), além da já conhecida Fundação Hemocentro de Brasília que fica no Setor Médico Hospitalar Norte, quadra 03, conjunto A, Bloco 03, próximo ao HRAN, no início da Asa Norte.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

PASSE LIVRE (e grátis) ESTUDANTIL

Fica a dica do http://www.entresutias.blogspot.com/ que eu atualizei com um tema atual e importante, o PASSE LIVRE ESTUDANTIL que foi sancionado por nosso "amado" governador José Roberto Panetone e cujas consequências vão aliviar muito bolso de pai e mãe por aí.
A iniciativa é interessante, e me deixa desejosa de outras mudanças. Espero que a frota dos ônibus continue sendo renovada, que o metrô não seja sucateado e que *os horários dos itinerários sejam respeitados, já que não adianta eu ter o privilégio de ir de ônibus gratuitamente e preferir ir de carro porquê é mais seguro ou confortável.
Já está disponível o cadastramento dos novos cartões pelo endereço do Fácil.

*infeliz experiência própria.

PRIMEIROS SOCORROS

Motivada por um acidente ocorrido na esquina de meu prédio, recomecei a pensar antigas inquietações minhas a respeito das pessoas. Hoje não me atenho à efemeridade da vida (como outrora feito no ENTRESUTIAS), atenho-me ao comportamento dos seres humanos em meio a uma turbulência.
Destaco alguns personagens dessa crônica real:
  • A CULPADA (?!) - A moça com blusa de cor rósea, muito nervosa chora e precisa ser ajudada por amigos e ser assistida por policiais. Não sei se a culpa foi realmente dela, mas ela me lembra pessoas que se desesperam em momentos de tensão ou quando são pressionados de alguma forma. Com certeza não levo em consideração a grande responsabilidade de ter causado o acidente, mas faltou-lhe equilíbrio, mesmo porque, a primeira recomendação nesse caso  é "mantenha a calma"!
  • UM HOMEM DE BLUSA AZUL - Ao ver o acidente, logo correu para uma padaria próxima e muniu-se de...papelão! Provavelmente o senhor já protagonizou ou participou de algum acidente, pois eu mesma achei o papelão inapropriado àquela situação, o que logo tornou-se um equívoco. O senhor, com cuidado, colocou os papelões em baixo do rapaz acidentado, protegendo-o de queimar-se no calor do asfalto. Uma pessoa de atitude e proatividade, que se destacou com bril enquanto o resto dos curiosos apenas montava o habitual circo ao redor do motoqueiro.
  • O TIOZINHO DO PICOLÉ - Sem saber (ou poder) ajudar de uma outra maneira, o humilde senhor retirou o guarda-sol do seu carrinho e segurou acima do motoqueiro no meio da avenida já parada, evitando que o sol incomodasse ainda mais o jovem no asfalto. A solidariedade do senhor  mostra que nós sempre podemos ajudar da melhor maneira possível quando damos tudo que possuímos, mesmo que não seja mais do que aquilo que os outros poderiam ofertar. (Mc 12,38-44)
  • O MOTOQUEIRO - Sem capacete.
  • O CIRCO HABITUAL AO REDOR DO MOTOQUEIRO - Não fugiu à regra e fez juz ao seu posto de plateia hinóspita e curiosa. Alguns, inclusive, cometeram as gafes que me incitaram escrever este post: levantaram o pescoço do rapaz para colocar algo debaixo de sua nuca para deixá-lo mais "confortável", mudaram-no de posição, fizeram-no mecher partes do corpo que ,se houvesse havido trauma, poderia afetar sua medula.
  • O CORPO DE BOMBEIROS - SAMU - POLÍCIA - Em demasia demorados, sorte não ter sido  grave. O trânsito ficou à mercê dos pedestres enquanto os carros continuavam passando pelo local.
E no meio de tudo isso, EU, futura jornalista que vos fala, filmando a movimentação de dentro do quarto do meu irmão e imaginando como ficaria o texto para o Minny.na, já que abordaria um tema diferente do óbvio e optaria pelo esclarecimento em detrimento da lição de moral ou da filosofia.
Fiquei muito preocupada com o desaviso e falta de esclarecimento que as pessoas possuem. Não é falta de cuidado, porque percebemos que as pessoas se solidarizam com a situação e tentam ajudar, mas é preciso que se saiba como ajudar para não complicar um caso que exige cuidados especiais.
Música METRÓPOLE - Legião Urbana; Imagens por Iasminny Cruz

É preciso que durante um acidente e enquanto se espera a chegada do socorro, as pessoas envolvidas e os possíveis transeuntes do local sejam capazes de se manter em calma, solidarizar-se e de distinguir o que pode e o que não pode ser feito. E sabendo o que NÃO fazer, fica mais fácil saber como reagir em caso de acidente. Então lá vai: Não movimente a vítima. Não faça torniquetes. Não tire o capacete de um motociclista. Não dê nada para a vítima beber ou ingerir.
Especialistas mostram que é essencial que se faça uma rápida avaliação da vítima, o alívio das condições que ameacem a vida ou possam agravar o quadro dela(evitando novas colisões, atropelamentos ou incêndios)e acionando correteamente o serviço de emergência local.
Em Brasília, o número de emergência dos Bombeiros é o 193 e o do SAMU é o 192.
Mas mesmo que o acidente seja grave, ao ligar para qualquer um desses números, os atendentes irão fazer uma série de questionamentos importantes (o tipo de acidente, o número de envolvidos, endereço, se há vítimas presas ou, ainda, vazamentos ou ônibus e caminhões envolvidos) e é necessária a colaboração nas respostas.
Fica aqui o apelo e a campanha do Minny.na para os corretos primeiros socorros em acidentes. Peço que, assim como eu, tomem iniciativas para esclarecer as pessoas a respeito dos procedimentos correto e incorreto em acidentes, para que sejam evitadas muitas complicações no quadro clínico da vítima (que poderia ser você).
*Estima-se que 10 bilhões de reais por ano são gastos no Brasil por conta dos prejuízos causados por acidentes de trânsito.
*Medidas de socorro que necessitem de capacitação, tais como: respiração boca a boca, massagem cardíaca, imobilizações; são oferecidas por entidades especializadas e NÃO SÃO uma opção aos civis quando o resgate ou a ajuda profissional é PRÓXIMA E ACESSÍVEL.

EM CASO DE ATROPELAMENTO
Adote as mesmas providências empregadas para evitar novas colisões. Mantenha o fluxo de veículos na pista livre. Oriente para que curiosos não parem na área de fluxo e que pedestres não fiquem caminhando na via. Isole o local do acidente e evite a presença de curiosos. Faça isso, sempre solicitando auxílio e distribuindo tarefas entre as pessoas que querem ajudar, mesmo que precisem ser orientadas para isso.
Disponibilizo o link da ABRAMET (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego) para que vocês leiam a pequena cartilha que eles oferecem e que vem com ricas informaões a respeito de primeiros socorros e procedimentos em caso de acidentes

domingo, 17 de janeiro de 2010

COLHEITA FELIZ, a praga do Orkut.

"É tão emocionante! Dá pra roubar as coisas dos outros, tem que ficar 24 hrs na internete"
É assim que os adolescentes, alguns nem tão mais adolescentes assim, referem-se à novidade do Orkut,  *Colheita Feliz.
Passada a moda do BoddyPoke , o jogo virou praga, no sentido mais literal do vocábulo, e segue dia após dia infundindo na cabeça dos jogadores a ideia de um roubo explícito e sem punição.
Mas não é apenas essa a opção dos jogadores. Assim como na realidade, fica a critério do fazendeiro roubar ou ajudar seus amigos a extinguir pragas. Para os preguiçosos, é válida a citação "A colheita é mais feliz que o processo de semear".
Colheita Feliz tornou-se um jogo viciante que já em dezembro passado possuía quase meio milhão de usuários, tornando-se um dos aplicativos mais populares da atualidade.
Dá pra roubar o ovo da galinha, o leite da vaquinha, os nabos da horta feliz de um amigo seu que se empenhou para manter a plantação sem pragas apenas na esperança que um ladrão aparecesse e afanasse seus alimentos.
video
Funk sucesso no Youtube, com mais de 100.000 exibições que trata com bom humor a nova onda do Orkut

Especialistas mostram os lados bom e mau do jogo. Aqueles que defendem a ideia, pregam o bom senso como moderador de abusos e alegam que o jogo é capaz de desenvolver capacidades de gerência, organização e administração de recursos nas crianças ou nos adultos que jogam.
O vício, porém, existe como um risco àqueles que não conseguem se desprender do jogo para participar de outras atividades aquém das que envolvem nabos ou melancias. É importante também que os pais estejam atentos aos sites e participações dos filhos na internete, servindo sempre de intermediador entre o filho e a web.
E com uma certa influência da Mãe Diná, avalio que não poderemos mais ficar isentos desse tipo de situação online. Seja para entreter, confundir ou trocar qualidades (boas ou ruins), não podemos desarticular o século XXI da internete e de suas consequências. Redes sociais surgiram no momento em que o homem não sabe mais o nome do seu vizinho, mas já viu as fotos dele no Orkut ou como foi seu dia no Twitter.
Por conta disso, sempre surgirão e desaparecerão novas Colheitas, Construções, Produções ou que nome quer que possuam futuramente; pois a pequena parte da sociedade que tem acesso à internete não quer mais saber de notícias monótonas e ultrapassadas, ou de bonecas que não andem, comam, falem e chorem (tudo ao mesmo tempo).
Preocupa-me, no entanto, que o Colheita Feliz desenvolva na cabeça das pessoas a vontade de viver onlinemente ao invés de viver, quem sabe, conhecendo um campo de verdade, com bichos soltos e muitas árvores. Um passeio, indico eu, muito melhor que ficar cinco horas no quarto sentado em uma cadeira e rodeado de paredes brancas e clautrofóbicas.

*O jogo é um simulador de fazenda em tempo real desenvolvido pela empresa norte americana Mentez, famosa por desenvolver aplicações para redes sociais como O Jogo da Bolsa e parcerias com o BoddyPoke. Ela ainda possui clientes como a Wal-Mart, LG, Sony, Skol, Fox Films, Unilever e Ocean Air.
O Colheita Feliz popularizou-se a partir do ano 2000, com o aumento das redes sociais e a propagação da banda larga.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

A primeira do BBB!



DICESAR: - Mas você tem casa em São Paulo?




FANI: - Não, não. Só vou pra São Paulo a trabalho mesmo



 
 - Mas cê trabalha do quê?


 
- Ah, eu trabalho como celebridade instantânea mesmo. (risos) Trabalho como ex BBB!






Entendeu, ne?
Ex BBB agora é profissão! Celebridade Instantânea agora é carreira.
Só sei que não dá pra se virar como celebridade instantânea pro resto da vida. Faço votos que ela esteja poupando dinheiro, investindo em imóveis, porque já dizia a antiga e verdadeira filosofia do MIOJO-rei dos instantâneos: "se você não apaga o fogo na hora certa, um dia a água da panela acaba" (...)
Entendeu, entendeu???!

*Ela disse também que está dando duro no teatro, que praticamente paga pra trabalhar na área... sei lá né, boa sorte,vai ver pra ser atriz precisa ser Ex-BBB como pre-requisito...

domingo, 10 de janeiro de 2010

lá vem o BIG brother

Todos de olho?
Todos preparados?
Big Brother Brasil 10! (DEZ!!!)

Palavras do próprio Boninho, diretor do reality show, ao site Babado não nos cega ao afirmar que o *programa é mais que entretenimento, é um *produto, que além de muito bem pensado é o maior faturamento da Rede Globo atualmente.
Não me é estranho, inclusive, que ele fale que os motivos para que o Big Brother seja sucesso durante todos esses anos seja a diferença da rede de telecomunicações brasileira em comparação com o resto do mundo: aqui o telejornalismo e as novelas têm o monopólio e a atenção dos telespectadores.
 Nesse meio, é difícil que outros realities consigam tanto sucesso quanto nosso aclamado BBB que não apenas trabalha duro (não tão duro assim) para ter nossa atenção, como também infunde na cabeça do cidadão a má ideia de felicidade-infelicidade instantânea.



Não nego. Assisto mesmo. Mas ainda não entendi, em nove edições e quase oito anos de duração, QUEM ou QUE COISA é o tal do big brother. O grande irmão, a grande irmã do quê, gente? Se eles só fazem barraco, dançar, comer e macomunar contra a vida e a dignidade do próximo?! É muito par de peito e pouco cérebro entre as orelhas... só para falar do sexo feminino.
O sucesso, entretanto, eu transponho pra telinha do lado de cá. Somos nós, telespectadores e agentes passivos, que colocamos em primeiro lugar a avassaladora vontade de futricar a vida do alheio; somos nós que procuramos um sentimento para poder preencher a intensa vontade de entender que alguém, em algum lugar, tem uma vida com mais barracos que a nossa
Poderia escrever um tratado sociológico a respeito da televisão, do público, das relações pessoais, da influência no cotidiano das pessoas e nas conversas, ou quem sabe, o número de celebridades instantâneas que o big brother produz. Alguns não duram nem os tão famosos 15 minutos, pois não aguentam a esmagadora realidade que a televisão causa, sempre necessitando de boas e novas ideias. E, nesse caso, não seria exatamente o encontrado nessas pessoas tão bem selecionadas.
Na opinião diversa dos telespectadores, é consenso que "todo mundo diz que é besteira, mas todo mundo assiste" e assiste-se "porque dá para ver as pessoas de diversos ângulos, jeitos".A visão de minha mãe já demonstra que "é impossível ficar alheio à essa "merda". E mesmo achando que não irei assistir à 10ª edição, o Big Brother nos dá senso crítico para poder discutir as questões que aparecem ou que estão relacionadas a ele, porque pode, inclusive, estar presente na minha sala de aula.
Cada um de nós pode esconder e deixar as verdadeiras intenções de lado, mas no mundo animal em que vivemos, quem não aparece, morre. Quem não reage, é comido pelos mais fortes. O objetivo, no fim, é ser visto.
Visto para acasalar, visto para que se escute sua voz acima dos gritos dos outros animaizinhos da selva. O BBB faz muito bem esse papel, é uma janela bem requisitada para aqueles que querem sobresair-se. Basta-nos, por fim, distinguir que reality show não é real life, e nos atentarmos ao fato que o senso crítico, diferente do comum, nos proporciona o prazer de poder ver as mesmas bobagens, mas colocar-nos um nível acima dos peitos: na cabeça, aonde é o lugar dos pensamentos úteis.

Só quero ver qual escritor-filósofo-cantor-poeta o Bial vai fazer se desinterrar dessa vez.

*Produto - resultado de produção, coisa produzida; resultado, fruto; rendimento, lucro, proveito; consequência, efeito.
*Programa- plano de execução, projeto; cronograma.

 E lá vem o BBB 10!

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Quem é o normal?

POR QUE TEMOS DIFICULDADE EM LHE DAR COM O DIFERENTE?

* Mulher de meia idade agarra-se a um cabo de vassoura e brada frases duvidosas nas ruas.
*Homem sai às ruas batendo palmas e cantando hinos religiosos nas esquinas.
*Rapaz, vegetariano e de vestuário alternativo, desinteressado por esportes, mas que gosta de estudar línguas diferentes e cantar ópera.
*Jovem, 24 anos, cujos movimentos oscilantes e comportamento esquisito conduz à suspeita de transtorno esquisofrênico.
*Jovem bailarina, tatuada e fã de rock, permanece em silêncio durante dias seguidos.
*Moça universitária, inteligente que não gosta de receber flores, pois tem medo delas.
*Adolescente do sexo masculino que não gosta de assuntos relacionados a moças de sua idade e sente atração pelo vizinho.
ANORMAL= do latim anormalis, vem a ser fora de norma, e tradicionalmente o termo tem sido usado para descrever o comportamento que se desvia de uma norma aceita em certa sociedade.Segundo o dicionário Larousse; aquele que não está conforme a norma ou padrão.

Há tempos venho pensando nesse tema e por coinscidência ou não, me deparando com o tema da aceitação daquilo que foge da normalidade ou do aceitável. Não é segredo nenhum que aquilo que não está inserido em nosso senso comum, choca e nos deixa duvidosos das regras que aceitamos para regir nossa vida diariamente.
Mesmo na Grécia Antiga, crianças que nasciam com diferenças notáveis, ou menores do que o normal aceito, eram sacrificadas por se entender que não seriam capazes de defender o território ou cuidar de suas obrigações como cidadão.
Na Idade Média, mulheres foram assassinadas por serem consideradas diferentes e por supostamente possuirem ligações com o demônio e com a bruxaria.
Na Tailândia, mulheres conhecidas como as mulheres-girafas são estimuladas a usar tantos colares quanto conseguirem, aumentanto o tamanho de seus pescoços e agredindo a coluna. Isso, no entanto, é considerado sinal de beleza e contribui para o casamento das mulheres na tribo.

Os rótulos atuam como uma forma de estigma, uma marca que é usada pela sociedade para tratar o indivíduo como um ser estranho, mas somos todos diferentes.Cada um age, pensa, sente, fala, canta, dança desigual.
Em uma sociedade que prega a igualdade de direitos, há um erro de aceitação deste lema nacional. Achar que esta igualdade é juntar em um mesmo saco todas as pessoas e acometê-las do mesmo rótulo, e não aceitar que as diferenças individuais são partes tuantes de cada ser é o erro fundamental do pré-conceito.
Exemplo vivo de nosso antigo, mas não ultrapassado preconceito, é o homossexualismo. Na Inglaterra já foi considerado crime e até 73 era considerado doença e possuía, inclusive, código de apresentação nas redes internacionais de saúde e psicologia.
O problema de lhe dar com o diferente pode advir do medo ou do desconhecimento de como se comportar com ele. O diferente abala conceitos e exige tolerância , é preciso que se entenda que a normalidade é também um ponto de vista social. Há, sim, doenças, sensibilizações biológicas e/ou comportamentais; mas a diferença é o que nos une.
Espero viver sem conhecer uma fábrica de gente, embora desconfie que seja essa a finalidade capitalista, que assume que ser igual é sinônimo de felicidade.

QUEM É O NORMAL??
SOMOS TODOS DIFERENTES.

 

































°° Cerca de 22% da população sofrerá de uma fobia séria em algum momento da vida e cerca de 17% experimentarão depressão suficiente grave para merecer tratamento.
(Alguns dados e exemplos retirados de uma antiga aula de Introdução a Psicologia, da UnB)

domingo, 3 de janeiro de 2010

O Início.


Porque sempre há um início. E o início do ano trouxe consigo a novidade das esperanças renovadas, que só parece ocorrer no escasso período entre o Natal e a virada de ano dos anos.
E é neste mundo novo, repleto de renovação e intensamente marcado pelas novas tecnologias que o próprio discurso sobre a globalização se torna incerto.
O questionamento que faço , então, é por que fazer um blog? Qual a minha proposta? O que vou escrever? Quem virá me ler.....alguém virá?
Para o problema do público, conto com a nobre ajuda dos amigos, familiares e do namorado espero ainda, ansiosamente, comentários.
Do discurso, a dúvida já me fez presa devorada, mudei de opinião diversas vezes, por vezes não cheguei a opinião alguma e hoje norteio-me pelo curso que faço na UnB, embora esse também esteja em seu início; crescemos juntos.
Era um plano antigo ter um local para escrever as coisas que sempre escrevi e que ninguém, além da minha irmã que lia meus antigos diários, lia. -Ela odiava meus poemas, mas sabia de toda a minha vida-
Em um país emergente, sou iminente jornalista, passional, diligentemente emocional, exagerada, curiosa, incontida, de tal sorte que utilizo-me do poder de ser pseudo-dona de um espaço e manuseio as palavras, que me são ferramentas, como canal de mudança, reflexão e desabafo.
Dou-me as boas vindas no blog e abro os braços aos que lerem e refletirem minhas futuras linhas.



Carinhosamente,
Iasminny Cruz 

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails